O músico Celsinho Silva faz sua estreia pela gravadora Kuarup com o disco Nas Ondas da Noite, seu primeiro trabalho solo. Integrante do grupo Nó Em Pingo D’Agua e do Conjunto Época de Ouro, o percussionista se lança como intérprete em projeto sonhado há muito tempo, desde sua adolescência, com músicas que ficaram guardadas, à espera de que um dia, o seu sonho pudesse se realizar. No álbum financiado coletivamente por amigos, fãs e colegas músicos, mostra também o seu lado compositor, com alguns sambas em parceria com Paulo Cesar Pinheiro, Délcio Carvalho e Agenor de Oliveira. Além das composições próprias o repertório passeia por canções de grandes mestres da música brasileira como Cartola, Dona Ivone Lara, Paulinho da Viola, Noel Rosa, Pedro Caetano, Zé Keti e do seu mestre de vida, seu pai, o músico Jorginho do Pandeiro, um dos mais veteranos integrantes do grupo Época de Ouro, fundado por Jacob do Bandolim. O álbum é um passeio musical que reúne 13 faixas com interpretações de clássicos brasileiros e traz duas participações especiais: Neusa Albuquerque da Silva, mãe de Celsinho, que canta na melodia Foi Uma Pedra Que Rolou, um presente para o filho e a cantora japonesa Machiko Watarumi, entusiasta da música brasileira no Japão, na faixa Máscara Negra. O álbum que traz como destaque os clássicos Nas Ondas da Noite, de Paulinho da Viola, Máscara Negra de Zé Keti, Quando O Samba Acabou, de Noel Rosa e Agradeço a Deus, de Dona Ivone Lara e Mano Décio, reúne mais de 30 músicos instrumentistas.

Voltar