Bruno de La Rosa | Kuarup
Bruno de La Rosa

Bruno de La Rosa

    Curtiu Bruno de La Rosa?

Bruno Felipe De La Rosa Maganini Lopes

 24/2/1987

Santos – São Paulo

Nascido em 24 de fevereiro de 1987, em Santos, filho único de mãe chilena, e pai brasileiro, não tinha músicos na família e nem foi criado para ser um – apesar de ter nome de artista. Ele descobriu sozinho o gosto pela música, ouvindo os CDs da coleção do tio. Por acaso, ali havia algo de Toquinho com a qual Bruno simpatizou de pronto, ao acionar o play. Foi quando quis aprender como se fazia aquilo com as cordas do violão, como se estivesse encantado.

O tempo passou. Autodidata, há muito domina o instrumento, além de compor e cantar com igual competência. Conhecedor da música brasileira, Bruno De La Rosa duvida dessa história de fazer música no presente sem conhecer a música do passado. E mostra que tem razão: de seus estudos, impulsionados pela admiração por Toquinho e outros mestres da música brasileira, foi extraído um repertório consistente e inspirado. Música brasileira é o que ele faz, bem alicerçado em si, em seu fazer artístico, acreditando que é possível fazer mais com a herança musical deixada – cabe a quem ousar tentar fazê-lo. E Bruno ousa.

Foi nos idos de 2004, aos 17, com parte da obra de Toquinho catalogada e muitos livros de cifras e songbooks diversos esmiuçados, que Bruno debutou no palco do Espelunka. Bar já extinto, com um quê de “casa de amigos”, que mantinha um pequeno palco onde se apresentavam as boas vozes e violões da região de Santos e São Vicente.

Durante a passagem de som de outro músico, Bruno improvisou no palco uma composição de Toquinho. O dono do espaço se impressionou ao ver que não era um CD que tocava, e o convidou para se apresentar todos os finais de semana naquele palco. Em pouco tempo, Bruno de La Rosa conquistou um público fiel e diverso, e passou a vislumbrar novas possibilidades. Em 2005  já era muito requisitado na cena musical da Baixada Santista. Desde então, Bruno não pára.

Em 2006, o músico se mudou para a capital paulista e passou a frequentar o Clube Caiubi de Compositores. Considerado o melhor cantor da Baixada Santista neste ano, em 2007 desceu a serra e saiu do Teatro Municipal de Santos com o Troféu Brás Cubas embaixo do braço. Já em 2007, ficou com o 3º Lugar no I Festival de Samba Paulista, no TUCA, em São Paulo, defendendo o samba Chá de Sumiço, de Valdir da Fonseca, com direito a cobertura do canal Futura e da Rede Globo. Na edição de 2009 do Troféu Plínio Marcos, em Santos, levou os prêmios de melhor cantor e de melhor instrumentista. Também foi considerado o melhor compositor pelo júri do II Festival de Música de São Vicente, em 2009, com a música A Grande Senhora.

Em 2008, Bruno de La Rosa também teve a honra de ser convidado para abrir o show de Francis Hime, no Teatro Coliseu, em Santos, e de Gerson Conrad (ex-Secos e Molhados), no Teatro Municipal de Santos, além de ter participado da última apresentação do pianista Pedrinho Mattar (1963-2007), em 2006. Música para teatro desde 2006, show na quadra da Mangueira, no Rio De Janeiro, e shows no Chile dão alguma ideia do universo da música de Bruno De La Rosa.

Após 22 meses de muito trabalho e dedicação – e uma satisfação que não cabe em palavras – é lançado em julho de 2011, o Songbook Toquinho (Ed. Irmãos Vitale- Ed. Lumiar). Nos padrões criados por Almir Chediak (1950-2003), o livro traz transcrições das gravações originais de 62 músicas, além de trechos inéditos, em um minucioso trabalho de transcrição de acordes e partituras feito por Bruno de La Rosa, sob supervisão do maestro Roberto Votta.

Nas palavras de Bruno, que não se pretende escritor, esse trabalho “é uma espécie de resumo, uma história de aprendizado e admiração transformada em agradecimento nesse livro”. Toquinho acompanhou todo o processo de feitura da publicação, que em um mês de lançamento alçou a posição de songbook mais vendido e o segundo livro mais vendido da editora.

No fim de 2010, Bruno de La Rosa começou a produzir o CD The Beat of My Heart, em parceria com o pianista Marcos Alma e com a cantora inglesa Imogen Reeves, a Imi.  Uma prévia desse trabalho foi aplaudida no Teatro Guarany, em Santos, no início de 2011. A turnê de lançamento do trabalho está prevista para 2012, na Europa.

No Brasil, entre shows e gravações, Bruno de La Rosa atualmente se prepara também para produzir seu primeiro CD. Tudo o que vem por aí, bem como vídeos, entrevistas, letras de música, fotos e afins, pode ser encontrado em seu blog  A Conversinha é Essa.