ARTISTA DO MÊS

A cantora Eliana Pittman estreia na produtora e gravadora Kuarup com Ontem, Hoje e Sempre, seu novo trabalho. O álbum, gravado em formato acústico com violão e percussão, reúne dez regravações de músicas de autores como: Vinicius de Moraes, Martinho da Vila, Fito Paez, Chico Cesar, Candeia, Cazuza e Gilberto Gil entre outros. Como bônus há mais oito faixas ao vivo de um show gravado em 1970, em Paris, na boate Dom Camillo, com repertório de clássicos da música brasileira e Bossa Nova. Sem lançar um disco de canções inéditas desde 1991, Eliana é uma das mais versáteis cantoras da MPB, tendo sido a única artista brasileira a figurar a capa da revista norte-americana Ebony, principal publicação destinada ao público negro. No cenário musical de quem viveu os anos 1970, a cantora carioca é a vivaz intérprete de sambas e carimbós que lhe deram fama nacional naquela década áurea, porém a verve internacional herdada por seu pai, o extraordinário saxofonista americano Booker Pittman, fez dela uma das principais cantoras de jazz do Brasil. O álbum que tem produção de Thiago Marques Luiz e primoroso trabalho gráfico com encarte contendo várias fotos antigas de Eliana Pittman além de foto contundente da cantora na capa destaca alguns clássicos da música popular brasileira como O Morro Não Tem Vez, Ex-Amor, Drão, Onde Estará o Meu Amor, Preciso Dizer Que Te Amo, Preciso Me Encontrar e do disco bônus Aquele Abraço, Garota de Ipanema, O Pato, Desafinado, Manhã de Carnaval, Ponteio e Felicidade/Deixa Isso Pra Lá entre outros.

Voltar